Quarta-feira com um time de lindas canções sem nome… Vamos embarcar em quase dezenove minutinhos incríveis!

agulha

Esse blog me trouxe um monte de amigos com um gosto musical semelhente ao meu… Gente com muita adrenalina pra curtir e conversar sobre sensações que as melodias lindas nos transmitem. E eu que me achava quse um ser ímpar no mundo… Mais uma prova da magia da internet!

Uma outra coisa que curto demais são as indicações musicais e os arquivos que recebe com precosidades… Nesta quarta-feira catei quatro dessas incríveis canções que me mandam… Nossa… São coisas lindas que alguém ouviu e lembrou de me passar… Amizade pura e musical!

Detalhe importante: não tenho a mínima idéia de quem canta nenhuma dessas delícias que desfilarão nesta postagem. Mas, confiem, valem a pena pois tratam-se de ótimos exemplos da mágica que é um arranjo especial…

Abindo, um instrumental que traz uma sensação meio bossa nova pra gente… Sofisticada e muito sentimental, essa primeira canção nos reporta àquelas tardes em que tínhamos menos obrigações e mais diversões. Aliás, a música consegue fazer isso… Faz com acreditemos que temos tudo de melhor… E se buscamos isso, temos mesmo!

Seguindo um charmaço com todos os ingredientes que faziam parte desse estilo no início da década de 90, e que teve, na minha opinião, uma das melhores safras de rhythm & blues. Lembro de curtir muito canções assim nas tardes de sábado com DJ Celso, JB Scooby, Washington e DJ Jura. Foram momentos inebriantes em todos os sentidos, mas que também melhoraram muito a nossa sensibilidade já que traziam a paixão pela música…

A terceira é mais um r&b, mas com cara de metade da década de 90… Muito semelhante às produções de Driza Bone e Incognito, essa canção tem um arranjo no estilo largado de fim de noite em qualquer esquina de Nova Iorque… Ou qualquer do Rio de Janeiro… Ou de Maceió… Aracaju… Não importa o local, já que a trilha sonora é perfeita!

Fechando, uma preciosidade com a levada eletrônica característica de JT Taylor no seu primeiro disco solo… O sax que abre a canção lembra ainda os bons tempos de Najee ou Herb Alpert… E o corinho que entra cantando ‘time for love’… Divino! Qualidade pra quem sabe onde tem o ouvido…

Quer curtir quase dezenove minutinhos de melodias com muita sutileza? Então clique no link abaixo e veja como a música melhora a vida…

QUATRO SEM NOME

Frase do Post: A felicidade conjugal é extremamente difícil. Mas, quando existe, é extraconjugal. (Millôr Fernandes) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s