pic-dj.jpg 

Caríssimos, estou me re-estabelecendo de uma virose que me atormenta desde o sábado… Fiquei fora de tempo e sem muito ânimo pra rotina diária… E, confesso, com saudades de nosso blog.

Por outro lado, nas minhas ‘alucinações’ sob o efeito do paracetamol fiquei maquinando um monte de sequências na minha cabeça. A primeira delas foi uma com alguns grandes houses… Sem mixagem, pra gente curtir as versões inteirinhas. O que vocês acham?

Abrindo, Aftershock com SLAVE TO THE VIBE e a versão Daryl James club mix. Um dos houses mais deliciosos que conheço. Fez parte da trilha sonora do filme Sliver em 1993 e foi produzida pelos magos ingleses Peter Lord e V. Jeffrey Smith. Adoro o timbre vocal e o arranjo dessa canção.

A segunda é uma que tocava demais em nossas pistas de dança, lá pelos idos de 1991-92. DON’T TALK JUST KISS, com Right Said Fred, pra mim, é uma música clássica. Todas as versões são ótimas e a participação de Jocelyn Brow só faz aumentar o charme dessa faixa. Não dá pra ficar parado… De jeito nenhum!

Seguindo, um house novíssimo. Estava eu a observar a finalização da instalação do som de meu carro, ouvindo a Jovem Pan e me toca esse petardo. Ligo então para meu grande amigo Júnior Versianni, coordenador da JP local, procurando saber o nome de quem canta. House Boulevard, um projeto brasileiro, e CAN’T GET YOU. A sampleada de metais dessa extended version é maravilhosa e dispensa maiores comentários. Uma viagem que prova o quanto a disco music é fonte inspiradora de coisa boa ainda hoje…

A quarta, e última desse set de pouco mais que 28 minutinhos,  é uma que virou hino… Hino pra mim… Sou um dos maiores fãs de Luther Vandross, que infelizmente não está mais fisicamente entre nós. Espiritualmente, o cara alimenta muito minhas viagens desde os idos dos anos 70, quando lançou trabalhos sem muita repercussão, até suas obras-primas da década de 80 e seus ótimos trabalhos da década de 90. Curto o estilo de suas baladas (muito sofisticadas, por sinal) e o balanço de suas outras canções. Em 2006, postumamente, foi lançado o single SHINE com remixes do pessoal do Freemasons. Esta club mix tem uma sugada da melodia de MY FORBIDDEN LOVE do Chic e é uma remix inesquecível. Uma música que não deixa pista nenhuma parada… Posso garantir, pois já testei. Essa é um presente pra quem sabe o quanto é bom ter ouvido!

I’m back…

HOUSE GOLD

4 comentários sobre “House lindo é que nem vírus… Se não formos imunes, pega!

  1. Olá Grande Ed, o bom gosto como sempre presente, a seleção lembra muito o Grande Mestre Julinho, musicas de qualidade , e o ouvido agradece , parabéns, sem palavras .
    Meu se tiver um temp visite my blog http://www.reinaldol.wordpress.com , achei algo interessante, se interessar ouça ou baixe e depois me diga o que achou .
    Abraços ,
    Reinaldo Lima , ha ia me esquecendo o CD do Julinho demais , e as vinhetas the best …..

  2. Ed,
    acho q vc ficando doente a gente tb fica. já to viciado em acessar todos os dias o seu blog. nessa semana, como não veio nada, estranhei muito e fiquei inquieto…rs
    não adoeça, please!!
    melhoras!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s